Estrada Cuiabá a Goiás em 1736 - Estrada Cuiabá a Goiás em 1736 PDF Imprimir E-mail
Índice do Artigo
Estrada Cuiabá a Goiás em 1736
História
História
História
História
História
História
Todas as Páginas


1. Uma das hipóteses por mim levantadas é a de que teria ocorrido uma articulação econômica entre São Paulo, Currais de São Francisco, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso, em um período anterior à própria abertura do caminho terrestre entre 1736/7.

2. Outra é a de que a preocupação estratégica e o controle fazendário estiveram articulados com os interesses dos produtores e comerciantes do Cuiabá para a abertura do caminho.

3.  É nossa hipótese também que partir da queda do movimento monçoeiro teria havido uma intensificação do trânsito através do caminho terrestre.


OBJETIVO

Este Projeto de Pesquisa tem por objetivo fazer um levantamento histórico das reais necessidades para a abertura do caminho terrestre que ligou, a partir de 1736, a Vila Real do Bom Jesus do Cuiabá às Minas dos Goiases.

No transcorrer do trabalho procuraremos descrever, com mais embasamento, as conseqüências econômicas provocadas por essa abertura para a Vila do Cuiabá e para toda a região matogrossense.

Assim, com esta proposta de investigação, pretendemos efetuar um resgate deste período colonial, para que não se perca no tempo, ressaltando a importância do dito caminho, suas dificuldades, seu desenvolvimento e conseqüências sociais e econômicas, bem como analisar, a posterior relevância do caminho terrestre, em decorrência da decadência do caminho fluvial.

PROCEDIMENTOS TÉCNICOS

Este Projeto de Pesquisa procura fazer um levantamento histórico do caminho terrestre para Goiás, destacando a importância dele para o desenvolvimento sócio-econômico da região central do Brasil Colônia.

Inicialmente procurando localizar a Vila Real do Bom Jesus do Cuiabá como centro da América do Sul, região que serviria de ligação entre a América portuguesa e a América espanhola, e, conseqüentemente, o Oceano Atlântico ao Pacífico.

Analisaremos o processo de criação do dito caminho, de uma forma global, dando relevância à importância da ocupação física e econômica pelos sertanistas.  Procurando demonstrar as dificuldades que haviam nesse período para o transporte e comunicação da Vila do Cuiabá com o restante da Colônia, pois é sabido, que estes só aconteciam através das Monções Fluviais.

Dentro deste contexto procuraremos pesquisar, com maior profundidade, quais foram as necessidades que levaram à criação de uma ligação terrestre para Goiás; como ela foi criado e a sua importância.

Como fontes primárias, utilizaremos os autos de junta, termos de junta do Senado da Câmara, correspondências oficiais, correspondências pessoais, processos judiciais e fazendários junto ao Arquivo Público do Estado de Mato Grosso e no Núcleo de Documentação e Informação Histórica Regional.

Como fontes secundárias, utilizaremos toda a bibliografia disponível em bibliotecas públicas e particulares, também seguiremos orientações de pessoas especializadas no Período.

Através da análise sistemática dessas fontes primárias e secundárias, procuraremos encontrar respostas objetivas para um bom encaminhamento do Projeto de Pesquisa.